Um ano vigilante

Eu não comento muito sobre isso aqui no blog (me parece um pouco fora da proposta deste espaço) mas no ano que passou, inspirada por duas amigas, me inscrevi no vigilantes do peso.

 

Eu passei quase a vida toda lutando contra alguns quilinhos a mais, mas de uns anos para cá esses “alguns” viraram “muitos “. Aí você começa a fugir da balança, porque se pesar acaba se transformando em um ritual que acaba não só com seu dia, mas também com a sua semana. Fui ver uma reunião em abril e uma semana depois voltei para me inscrever. Achei que precisava perder uns, sei lá, 10kg? Quando subi na balança, pequena vertigem de desespero: eu estava quase 6kg acima do que eu achava que estava. Veja bem, não 6kg acima do meu peso. 6kg acima dos 10kg extras que achava que tinha. Susto, dor, vergonha, desolamento. Quanta coisa se passou na minha cabeça aquele dia. Mas, pelo menos, de tudo que eu pensei quando vi aquele número ali na balança a que ficou foi a seguinte: bom, pelo menos eu estou aqui para fazer alguma coisa a respeito. Não vai sumir do nada, então vamos enfrentar isso dia a dia, semana a semana, quilo por quilo. E assim foi.

 

Doeu? Não! Passei vontade? Quase nunca. Mudei meus hábitos? Muito! Não vou ficar aqui desfiando muito sobre o método do vigilantes, mas devo dizer que funcionou para mim. Cada alimento tem um número certo de pontos e você, de acordo com seu peso, idade e altura, recebe um limite de pontos para consumir por dia. Além disso, cada pessoa tem 49 pontos extras para usar como bem entender: um pouco por dia, tudo num dia, tudo em uma refeição ou simplesmente não usar tudo. Exercícios geram pontos extras que também podem ou não ser usados, de acordo com seu critério e com sua vontade de emagrecer mais rápido ou mais tranquilamente.

 

Foram um pouco mais de nove meses de pontinhos contados, anotações no celular, reuniões, pesagens e olhando para trás não lembro de nenhum momento de sofrimento. Deixei de comer coisas que queria? Sim, mas só porque não as queria TANTO assim. Se quisesse comia, contava os pontos e bola para frente.

 

É pago?

Sim. Você pode pagar por semana ou fazer pacotes de mais semanas para conseguir descontinhos. E se faltar na reunião paga mesmo assim. Afinal de contas, ia ter muita gente se enganando dizendo que vai faltar na reunião pois está sem grana para pagar. Não sei se o valor é igual em todas as cidades, mas em São Paulo são R$27,00 por semana. Eu sempre fiz pacotes já de quatro semanas, o que sai por R$97,00. Aceita dinheiro e cartão de débito ou crédito.

 

As reuniões são chatas?

Não! Eu, pessoalmente, tinha um belo preconceito a respeito do Vigilantes. Jurava que encontraria uma sala cheia de gordinhos e gordinhas chorando, contando como sofreram bulliyng e preconceito a vida toda e uma orientadora malvada que brigava com quem engordava e fazia uma cara de “não fez mais que a obrigação” para os que emagreciam. Eu não podia estar mais errada. A Maíra, primeira amiga a embaracar no Vigis (como carinhosamente chamamos) encontrou e recomendou Maria Lucia, uma orientadora engraçada, pra cima e que sempre faz as reuniões serem divertidas e cheias de insights. Talvez ajude muito o fato dela ser psicóloga. Lembrando que todas as orientadoras emagreceram (e se mantiveram no peso) através do Vigilantes. Então elas passaram pelo que você está passando. Logo, elas não cansam de lembrar que emagrecer é difícil, mas é possível. Que engordar uma semana ou outra é normal e que o importante é seguir em frente. Algumas dicas são óbvias (faça exercício), mas elas chegam com uma cara nova (mas faça aquilo que cabe na sua vida como, por exemplo, subir mais escadas e andar mais a pé).

As reuniões acontecem em vários horários, dias e locais diferentes e você pode ir na que quiser (eu, por exemplo, cheguei a ir em três lugares diferentes. Dependia da semana que eu ia ter e onde ei ia estar). É preciso ir uma vez por semana se pesar e assistir à palestra que dura meia hora. Você pode se inscrever em um local, mas levar seu boletim pessoal (onde anotam a perda de peso) em qualquer outra unidade que estiver melhor para você no dia e horário que mais lhe convirem. No site é possível ver todos os locais e horários disponíveis.

 

O processo é personalizado?

Não! Claro que você recebe o número de pontos certo para você, de acordo com suas medidas, mas de resto as orientações são dadas ao grupo e cada um vai aprendendo como fazer funcionar. Você pode tirar dúvidas individuais e até relatar problemas e dificuldades, mas isso vai acontecer depois da reunião, se você puxar a orientadora para um canto. Mas, isso não torna o processo menos efetivo. Nas primeiras semanas um milhão de dúvidas surgem (e nisso ajudou muito ter a Débora e a Maíra já fazendo pois nós trocamos muitas informações), mas você vai aprendendo com erros e acertos e quando menos perceber já pegou o jeito.

 

Como é a perda de peso?

No começo é uma maravilha. As primeiras semanas costumam ser as melhores, pois o corpo leva aquele choque de hábitos. Eu perdi 2,4kg nas duas primeiras semanas. Depois vira um “devagar e sempre” que é normal. A média esperada de emagrecimento deve ser de 500gr por semana. Super plausível, né? E no final de um mês lá se vão 2kg. Nada mal.

Mas e aí Melissa, quanto você perdeu, afinal de contas?

 

17,1kg. Hoje, dia em que atingi minha meta final de perda de peso e entro na manutenção cheguei nesse valor. Nossa, quando olho esse número mal consigo acreditar. Especialmente porque não foi tão absurdamente difícil assim. Abri mão de coisas sim, mas honestamente o prazer de ver aquele número baixando é muito mais gostoso que qualquer doce. As roupas passam a ficar confortáveis. De repente estão folgadas. E aí estão tão largas que é preciso comprar novas (ou resgatar antigas). As pessoas notam, comentam, se assustam, se alegram, se admiram. Só vivendo para saber.

Parece fútil: peso, beleza, corpo, físico…mas não é. É uma conquista, uma coisa que eu fiz por mim. Valeu totalmente a pena. E ainda vai valer mais. É meio emocionante chegar nesse objetivo e se aproximar tanto do fim dessa jornada, especialmente por ela ter me trazido um resultado melhor do que sonhava e um sofrimento infinitamente menor do que eu esperava.

Lembro de ser adolescente, querer perder 2kg e não conseguir! Hoje termino esse post com exatamente o peso que eu teria se perdesse os tais 2kg naquela época.

 

Antes e depois, tem?

Tem um improvisado. Não sei bem porque eu não tirei aquela foto de roupa justinha na frente do espelho para poder comparar depois, tirando a mesma foto, na mesma pose, com a mesma roupa, de frente para o mesmo espelho. Talvez tenha sido um medo secreto de não dar certo, de falhar e de ter que ver aquela foto do antes e pensar que ela também representava o depois. Isso no fim não aconteceu e eu me arrependi de não ter tirado a tal foto (assim como me arrependi muito de não ter anotado minhas medidas, por pura preguiça), então tive que improvisar um antes e depois. Usei as mesmas roupas, mas não tinha nenhuma foto do antes com roupas justas (porque será né?) e nem deu para tirar na mesma pose, na frente do mesmo espelho.

 

Mas vamos lá. O que tem pra hoje é isso. Ai, confesso que mesmo já estando no depois, feliz e contente, ainda é difícil postar o antes, mesmo que seja para uma comparação que mostra um hoje muito mais legal. Dá insegurança se expor tanto, em um assunto que sempre foi delicado para mim e dá uma vergonha, inevitável. Mas respiro fundo e vamos lá.

 

Que o antes sirva de vaga lembrança e o depois de eterna inspiração.

image_2

Image

image
A roupa (e o corpo) com que entrei 2012 e a que eu entrei 2013. Tentei tirar uma foto com a mesma roupa do ano passado, mas a saia simplesmente foi parar no joelho de tão larga, impossibilitando a tarefa.

Uma de rosto. Não é porque o meu rosto tem formato redondo, que ele precisa necessariamente ser o irmão gêmeo de uma bolacha Bono de doce de leite.
Uma de rosto. Não é porque o meu rosto tem formato redondo, que ele precisa necessariamente ser o irmão gêmeo de uma bolacha Bono de doce de leite.

 

Ainda não acabou. Agora entro em manutenção, ganho uns pontos a mais e vou testando para ver o quanto posso comer mantendo meu pesso ideal sempre igual. Aqui entre nós, quero perder mais dois quilinhos ainda. Sem neura, sem sofrimento.

 

Assim começa meu ano. Espero que termine melhor ainda.

2 comments

  1. Acho que o sistema do Vigilantes é bom por isso: você não deixa de comer o q realmente gosta, só aprende a comer na hora certa.

    Adorei o post, adorei ver que você chegou ao seu objetivo e tá mais linda ainda! <3
    Parabéns!

    1. Pois é…é muito bom emagrecer sem passar vontade né? Acho que por isso que funciona!

      Obrigada Ana!!
      Eu queria muito que você também fizesse um post quando chegar na sua meta. Adorava ver sua evolução no Futricô! A gente sempre se anima mais vendo os outros conseguindo também né? :)

      Beijos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *