TBT #10

Uau, não foi assim seguidinho, mas aqui estamos, na décima semana de links! A essa altura vejo que a média é ter três links por post, mas não é regra. Esse por um acaso tem, mas seguimos deixando a vida nos levar, ou melhor, a qualidade da internet em cada semana específica. Hoje tem alimentação, viagem e trabalho. Meio que uma importante tríade do básico da vida, pelo menos para mim. Então, vamos?

 

1. Comércio honesto vende produtos orgânicos pelo preço do produtor.

 

comércio orgânico barato

 

Vira e mexe eu comento por aqui sobre a busca crescente por uma alimentação mais saudável. Acredito que esse movimento começou na minha vida quando entrei para o Vigilantes do Peso, processo que me ensinou a prestar mais atenção ao que eu como. Mas, comer light não quer dizer necessariamente comer bem se pensarmos o quão venenosos podem ser alguns produtos industrializados (ou talvez todos). Ainda não consegui de fato adentrar o mundo realmente saudável de alimentos só frescos e orgânicos, muito por falta de vergonha na cara mas também por conta de acessibilidade  e, claro, preço. No mercado as poucas opções orgânicas são muito mais caras e acaba dando uma pesada no orçamento. Por isso, fiquei morrendo de vontade de conhecer esse comércio na Vila Madalena que vende orgânicos a preços mais justos. Assim que der, quero fazer uma visita e me acabar na natureza!

 

 

2. Decidi não fazer o que eu amava. E foda-se.

 

decidi não fazer o que eu amava

 

Essa é uma questão que está em constante pauta na minha cabeça. Aquela vontade de fazer só coisas que me satisfazem, mas a dúvida se, a partir do momento que isso virar minha renda, ela não vai aos poucos deixar de ser tão apaixonante. Eu amo dança, sempre amei. Quando comecei a dar aulas de ballet e jazz me sentia muito feliz e satisfeita. Mas, como em toda profissão, alguns fatores externos como expectativa do empregador, ou visão diferente da sua, acabaram por, 5 anos depois, me deixar cansada daquilo. Hoje percebo que amava estar ali ensinando, mas a obrigação de fazer aquilo para pagar contas tirou muito do prazer. Então vivo nessa dúvida sobre qual caminho seguir: paixão ou vocação. Vivemos em um tempo que cobra você a “Do what you love. Love what you do”, mas será que precisa mesmo? A geração dos nossos pais via o trabalho muito mais como uma forma de alcançar objetivos do que como um meio de se expressar e ser feliz. E eles pareciam sofrer menos com suas perspectivas profissionais que nós. Esse é o ponto levantado por esse texto que eu vi através de uma postagem da Débora Costa e Silva. Vale super a reflexão. 

 

 

3. Como alugar seu apartamento e ganhar dinheiro.

 

como alugar seu apartamento

 

Ainda não testei nenhum serviço do Airbnb, mas tenho cadastro no site e ando dando uma olhada em alguns apartamentos para minha próxima viagem. Já li vários reviews de pessoas que se hospedaram no imóvel de alguém, mas nunca tinha lido um relado do ponto de vista do dono da casa ou apartamento. Bem legal e sim, uma opção boa para quem quer fazer uma graninha. Dica da Lu Thomaz Néia. 

 

Posts Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *