Onde ficar em Nova York

Essa foi minha primeira viagem a Nova York e é claro que apenas seis dias não são o suficiente para eu me considerar a conhecedora master da hospedagem na Big Apple. Este post não tem essa pretensão! Mas, isso não significa que eu não tenho algumas impressões e dicas, certo?

Bom, a primeira grande dúvida que surge quando você escollhe esse destino é: devo ficar em Manhattan ou não? A questão é que a hospedagem na ilha é MUITO cara. Quando me falavam isso eu acreditava, mas não tinha a menor noção do quão caro é, quando comparado com outros destinos, inclusive na Europa. Daí então que vem aquela vontade de baratear esse que é um dos maiores gastos da viagem, ficando em algum lugar próximo como Queens, New Jersey, Long Island ou Brooklyn. Eu juro que fiquei muito tentada pois nesses lugares as hospedagens são, não só mais em conta, como também são muitas vezes melhores, até com café da manhã incluso, coisa difícil de achar na ilha a não ser que você gaste muitos dólares em hóteis mais bacaninhas. Mas, no fim das contas, uma dica que meu amigo Gary, que mora em New Jersey, me deu uns anos atrás ficou ressoando na minha cabeça. Ele me aconselhou fortemente a ficar na ilha para eu não perder tanto tempo me deslocando, especialmente nos horários de pico. O trânsito de Nova York é realmente assustador e o metrô, apesar de ótimo, também lota nesses períodos. Como só ia ficar seis dias na cidade, tempo era um bem precioso demais. Assim, resolvemos ficar em Manhattan mesmo, mas tivemos que abrir mão de um certo conforto.

Íamos ficar nesse hostel charmosinho chamado POD 51, mas uns meses antes da viagem resolvemos trocar pelo Royal Park Hotel e Hostel, no Upper West Side, pois com essa troca economizaríamos mais de R$1,500. A verdade é que a troca foi bem infeliz pois o hostel era muito ruim! Aspecto sujo, velho, com lençóis e toalhas manchadas e um quarto minúsculo mesmo. Na verdade está mais para uma cama com quatro paredes em volta do que para um quarto. Além de tudo, o aquecimento fazia barulho a noite inteira e, como eu estava com nojinho do lençol, acabei passando muitas noites mal dormidas. Não me entenda errado! Eu já fiquei em hostel, com quarto e banheiro compartilhado e beleza. Era esse lugar especificamente que me causou uma má impressão. E, detalhe, nem era tão barato assim. Na verdade foi uma das hospedagem mais caras que já tive na vida, incluindo viagens para Itália e Ilhas Gregas, pagas em Euro. Voltaria lá, nem que fosse pela economia? NÃO! Na próxima vou preferir juntar um pouco mais de dimdim e ficar em um lugar melhor, pois esse foi realmente o ponto destoante da viagem.

Expectativa:

Foto do supostamente mesmo tipo de quarto que ficaríamos, na divulgação do hotel pelo Booking.com.
Foto do supostamente mesmo tipo de quarto que ficaríamos, na divulgação do hotel pelo Booking.com.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Realidade:

A única coisa realmente muito boa desse hostel foi a localização. Apesar de não ser próximo do centro, ele ficava a uma quadra e meia da estação 96 da linha um, que é uma linha que funciona 24 horas por dia. Além disso, essa estação era expressa, o que significa que todos os trens param lá, coisa que não acontece em todas as estações. Assim, ir e voltar pro hostel foi sempre muito fácil e rápido. Então eis a dica que eu acho de ouro: fique próximo a uma estação de metrô expressa de uma linha 24 horas. Nós compramos o Metrocard de 7 dias que podíamos utilizar de forma ilimitada por esse período de tempo e valeu muito a pena. Com isso pegamos táxi apenas uma única vez e só. O resto foi mesmo só metrô e batida de perna.

Os bairros de Nova York

Upper West Side

Nós ficamos no Upper West Side, um bairro que gostei bastante pois tinha muita estrutura próxima para tomar café da manhã, comprar alguma coisa de farmácia e até jantar. Achei o local bem movimentado mas sem a loucura da Times Square. Chegamos de madrugada mais de uma vez e eu não me senti insegura, até porque na esquina do hostel tinha um mercado Walgreens bem iluminado.

Midtown

É inegável que a Nova York turística passa milhões de vezes pela Times Square e seus arredores. Por isso essa é sim uma ótima localização de hospedagem pois você já estará pertinho de muitas das atrações principais da cidade, ou com fácil acesso àquelas mais distantes. A única coisa é que essa região não dorme mesmo! Ao ficar aqui você vai estar sempre em contato com o lado agitado da cidade. Se gosta de um pouco mais de paz e tranquilidade, pelo menos na hora do descanso, aqui isso não vai acontecer.

Chelsea e Village

Visitei muito rapidamente esses bairros, mas me encantei. Neles finalmente encontrei um cantinho mais sossegado em meio ao agito de Manhattan. Fiquei com a impressão que, se morasse lá, gostaria que fosse em algum desses bairros. Numa próxima viagem gostaria sim de me hospedar lá.

Esses são os locais que me sinto confortável em comentar. Os outros eu acabei não conhecendo a fundo, ou não avaliando do ponto de vista da hospedagem. No final das contas, eu diria que é importante ficar perto de uma estação de metrô, ler profundamente as avaliações de outros viajantes, ficar na ilha se você tem pouco tempo como eu tive (se eu ficasse uns 20 dias testaria sim ficar pelo menos metade da viagem fora da ilha) e separar uma parte do seu orçamento para isso. Nova York tem MUITO o que fazer e a locomoção de um ponto a outro é muito importante na hora de montar o roteiro. Além disso, tantos deslocamentos são cansativos e é bem ruim não ter um local onde você realmente descansa e repõe as energias, como aconteceu comigo. Como realmente não gostei do hostel, íamos para lá tarde da noite e saímos assim que levantávamos. Ótimo para aproveitar a cidade, mas complicado para o corpo, né?

Esse vai provavelmente ser o post mais feioso, com menos imagem, empolgação e informação, porque realmente a hospedagem me decepcionou tanto que eu nem me liguei de tirar muitas fotos ou pegar dicas melhores. Mas calma que tem muito mais pela frente! ;)

2 comments

  1. OI Melissa.
    Ai, hospedagens em NYC, que drama, ne? Já estive 2x na ilha e com duas hospedagens diferentes, mas ambas boas (fica a sugestão):

    1) A primeira só serve se vc estiver rica (hahahaahahah) e foi num hotel chamado “Yotel”. Ele não é barato mas é maravilhoso e super bem localizado.
    Só que custa caro. E quando fui, o dolar era bem mais baixo mas ainda assim comeu grande parte do nosso “budget” da época aahhaahaha. Ai, nunca mais terei esse luxo, infelizmente, mas o hotel é sensacional.

    2) no finalzinho de 2014 estive na ilha de novo e fiquei fora da ilha, me hospedei no Queens e foi massa, num hotel novinho chamado “Paper Factory hotel”, com bons preços e quarto grandão. O metrô era na porta, em 10, 15 min estávamos na Times Square, então super valeu a pena.

    Nunca fiquei nos hostels da cidade, mas já vi varias experiências como a sua.
    Bom, mas NYC é sempre maravilhoso, ne?
    bj

    1. Nossa, Pat, sonho em voltar ryca pra NYC!

      Mas se voltar menos ryca vou super pesquisar essa sua dica número 2. Já me prometi: a próxima vez vou investir mais em hospedagem.
      Cheguei a pensar em ficar fora da ilha, mas fiquei com medo de perder tempo demais indo e vindo já que ficaria apenas 6 dias. Mas 15 minutos pra Times Square tá super tranquilo!

      Ai, só de escrever essa resposta já deu uma saudade apertada de lá.

      Na verdade tenho mais posts de NYC pra escrever, um praticamente pronto, mas esse ano nem consegui encostar no blog ainda. Tá tenso!

      Beijos e obrigada pela dica!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *