Jericoacoara 2 | Hospedagem

Na verdade, somando a ida e a volta através de Fortaleza, nos hospedamos em três locais diferentes e aqui nesse post vou falar de todos. Nós chegamos numa quinta na hora do almoço em Fortaleza e achamos que era melhor descansar um pouco lá e seguir para Jeri apenas no dia seguinte. Mas, como esse não era o foco da viagem resolvemos economizar o máximo possível nessa parte da viagem. Procuramos hostels, mas não achamos nenhum que nos agradasse. Acabamos então vendo boas indicações tanto de um residencial (que é quase como um apart hotel) quanto de um hotel um pouco mais afastado da orla. Já que teríamos duas noites lá (uma na ida e outra na volta) decidimos fechar com os dois, assim conheceríamos ambos e poderíamos tirar as nossas próprias conclusões sobre qual vale mais a pena. Já em Jeri optamos por uma pousada bem cotada no Trip Advisor. 

 

Este é o post que com certeza vai estar mais carente de fotos próprias, mas na correria (e no relax) eu acabei deixando de tirar fotos hora do café da manhã, hora do quarto. Assim, vou tentar caprichar na descrição e na opinião para suprir essa falta.

 

FORTALEZA IDA – LUZON RESIDENCE

 

Para a primeira noite em Fostaleza fechamos o Luzon Residence que não é bem um hotel, mas sim um residencial. A diferença está mais nos quartos que são mais simples pois, de resto, ele tinha tudo que um hotel simples oferece: uma pequena piscina, café da manhã, recepção com atendentes 24 horas e serviço de quarto.

 

Eu confesso que fui esperando muito pouco dessa hospedagem, mas fui surpreendida. A decoração do quarto é de fato simples, mas ele era bem espaçoso com um espaço para refeições, uma salinha e uma parte mais intimista para a cama. A cama por sinal, assim como os lençóis, eram super confortáveis e nós dormimos muito bem lá. O quarto tinha ainda frigobar, fogão (na verdade tinha uma pequena cozinha americana), uma mesa de jantar com 4 cadeiras, um sofá, uma poltrona, armários embutidos, ar condicionário, um bom chuveiro e varanda. A varanda, aliás, dava vista para a praia mesmo não ficando na Av. Beira Mar mas sim duas quadras para trás. 

IMG_9243

IMG_4422

 

IMG_4420

IMG_4418

 

O atendimento é com certeza um ponto forte de lá, pois todos com quem tivemos contato foram extremamente gentis e solícitos. Antes de saírmos para jantar subimos a temperatura do chuveiro e a luz do quatro toda apagou. Notamos que era apenas no quarto pois o resto do hotel estava com energia. Pedimos ajuda para o recepcionista e ele disse que iria verificar. Saímos para jantar, mas confesso que ficamos apreensivos pois deixamos objetos de valor no quarto. Ao chegarmos o recepcionista nos disse que estava nos esperando para que entrássemos junto com o responsável pela manutenção no quarto. O tal do responsável apareceu imediatamente e subiu com a gente perguntando sobre o ocorrido. Ele ajustou a situação sem nem precisar entrar no quarto e também foi super simpático. Ou seja, tudo foi resolvido prontamente.

 

O café da manhã é terceirizado, o que me surpreendeu pois também fomos banhados pela simpatia dos responsáveis pela reposição dos produtos e por preparar na hora cuscus, tapiocas e ovos meidos, fritos ou omelete. Achei o café bastante bom com pães, bolos, tortas, cereais, leite, café, suco, tostadeira, geléias, manteiga, salsisha no molho, frios…pra mim só faltou mesmo pão de queijo (sim, sou a louca do pão de queijo, especialmente em café da manhã de hotel. Mas entendo que eu estava no nordeste e talvez lá não seja costume servir isso no café).

 

A piscina realmente é bem pequena e nós nem tivemos tempo de utilizar, mas imagino que mesmo se tivéssemos nós não usaríamos.

 

No final das contas nós ficamos muito satisfeitos com o Luzon e, para completar, ele fica a apenas duas quadras de distância do Hotel Praiano, de onde sairíamos para Jeri. Portanto fizemos isso a pé tranquilamente, mesmo com malas. Na frente do Praiano é onde também rola a feirinha da Beira Mar e esse quarteirão possui diversos restaurantes. Logo, a localização do Luzon é muito boa. Moral da história: se você topa um lugar simples mas com excelente atendimento, cama confortável e ótima localização eu recomendaria o Luzon Residence.

 

www.luzonresidenceservice.com.br

 

 

 

JERICOACOARA – SENZALA DOS AMIGOS

 

A ideia inicial era ficar ou no Samba do Kite, indicada por amigos ou no Blue Jeri, que é do mesmo dono do My Blue Hotel (antigo Mosquito Blue, hotel bem famoso por lá), mas como a Samba do Kite estava sem quarto disponível fomos pesquisar melhor e acabamos descobrindo a Senzala dos Amigos, pousada bem localizado e com boas recomendações no Trip Advisor. Como o preço estava um pouco melhor acabamos optando ela e lá fomos nós.

 

Eu havia lido que as donas, duas argentinas, eram muito simpáticas mas quando chegamos elas não estavam na pousada. Acho que estavam de folga ou férias pois na realidade só vimos uma delas e apenas duas vezes. Minha impressão sobre a pousada é que ela é uma boa opção para uma viagem mais econômica. Os quartos são espaçosos, e a pousada é bonitinha e de fato achei muito bem localizada. A troca de lençois e toalhas é feita apenas a cada três dias (se quiser troca extra é preciso pagar R$3,00 pela toalaha e R$6,00 pela roupa de cama). Isso não me incomodou pois, como eles mesmos defendem, em casa ninguém troca esses itens todos os dias. O quarto em si passam sim por uma limpeza e arrumação diária.

 

IMG_0561 IMG_0564

IMG_0567

 

 

O café da manhã achei bastante fraco: apenas pães, duas opções de bolo (nem sempre fresco), duas ou três frutas, manteiga e geléia. Você pode pedir ovos (mexidos, fritos ou omelete – o omelete era bem bom) e tapioca, mas só a goma. Você mesmo recheia a sua. Presunto e queijo não ficam expostos mas se você pedir tem. No primeiro dia não achei muito bem servido, mas ok. O que mais me incomodou é que todos os dias foi tudo igualzinho. Com poucos itens, a falta de variedade acaba ficando mais notável, então acabei saindo de lá com saudade de um café da manhã mais legal. Para beber: café, leite, achocolatado (no primeiro dia tive que pedir), iogurte e suco.

 

Um problema que enfrentamos foi o ar condicionado: ele fica bem acima da cama e no meio da noite deixa o quarto frio demais. Não encontramos manta nenhuma no quarto (e toda vez que saíamos, eu esquecia de pedir) e acabava que o lençol não dava conta. Desligar o ar ajudava… por um tempo. Dava 20 minutos e o quarto ficava quente demais. Assim, acabei não dormindo tão bem nessa briga entre sentir calor demais ou frio demais. Ah, e também teve a briga com os pernilongos. Pegávamos na recepção um espiral de citronela para queimar e passávamos nosso repelente Exposis (que é tão forte que carinhosamente o apelidamos de motherfucker) e mesmo assim fomos devorados. Isso não é culpa da pousada claro, é apenas um alerta para se prepararem bem contra os pernilongos.

 

A cama também não era tão confortável como a de Fortaleza, mas não era ruim. No final das contas eu confesso que não me arrependi de ficar na Senzala dos Amigos, mas gostaria de testar outras pousadas caso um dia volte a Jeri.

 

www.senzaladosamigos.com

 

FORTALEZA – HOTEL COCAL

 

No mapa eu tinha achado que o Cocal era razoavelmente perto da Av. Boa Vista (a avenida da praia). Eu só havia me esquecido que íamos chegar a noite de Jeri e que Fortaleza anda sendo considerada uma cidade bem perigosa. Diferentemente da ida não poderíamos portanto andar do ponto em que o ônibus nos deixaria até essa nova hospedagem e eu estava preocupada. Por sorte o ônibus estava bem vazio e o motorista foi muito gente boa e nos deixou apenas a duas quadras do Hotel Cocal, coisa que não é costumeira pois ele normalmente deixa os passageiros no mesmo lugar do qual saímos: a frente do Hotel Praiano.

 

Chegamos no Cocal e nos deram logo o primeiro quarto, bem próximo da recepção. O quarto não era espaçoso mas a cama era enorme! Porém, assim que entramos sentimos um cheiro bem ruim de mofo no quarto. Achei que pudesse ser o fato de o ar condicionado estar desligado e resolvemos não reclamar. Ligamos o ar e fomos jantar. Tivemos que pegar um táxi pois queríamos ir até a feirinha novamente para a última compra de presentes. Perto mesmo havia apenas um restaurante. Ou seja, a localização realmente perdeu feio para a localização do Luzon. Quando voltamos o quarto ainda estava cheirando estranho, mas estávamos mortos e íamos sair logo pela manhã e por ali ficamos. Se fosse ficar mais tempo com certeza pediria para trocar.

 

Obs.: Na correria de última dia não tirei nenhuma foto do Hotel Cocal, a não ser a do cuscus, então clique nas imagens abaixo para ser encaminhado para o site de origem delas.

 

hotel-cocal_apto-duplo-casal

 

O café da manhã tinha boas opções, mas achei as coisas meio ruizinhas, sem gosto. Novamente era possível pedir ovos, tapioca e cuscus. Eu pedi esse último e, para minha surpresa, veio um tipo de cuscus que eu amo, que o típico do nordeste (até então eu não tinha me ligado que não fazia o menor sentido ser o cuscus paulista né?). Meu namorado pediu um omelete e os dois pedidos vieram super bem servidos. 

 

hotel-cocal_restaurante

Cuscus feito na hora: a única foto que a gulosa tirou do Hotel Cocal.
Cuscus feito na hora: a única foto que a gulosa tirou do Hotel Cocal.

 

Vi na entrada do Hotel que pegamos um preço bem promocional e que, na realidade ele era bem mais caro. Pagamos R$170,00 a diária através do Booking.com e lá na recepção vi uma placa que mostrava uma diária de R$250,00. Somando tudo isso eu diria que, mesmo o Luzon não sendo um hotel de fato, eu escolheria ele ao Cocal. Pela localização, pela cama, pelo atendimento, pelo café e pelo preço.

 

www.hotelcocal.com.br

 

Bom, agora que já falei do transporte e da hospedagem é hora de finalmente falar dos passeios. Estou na dúvida se faço dia a dia ou por tema, como fiz no de Foz do Iguaçu. Em breve, a resposta. Sugestões?

 

Posts Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *