Economia Criativa 2 | Livros

Esse post pode ser totalmente indiferente para quem não gosta muito de ler, mas uma salvação para quem vê nos livros uma verdadeira perdição. Na verdade é uma dica simples, até mesmo boba mas que, no meio da loucura que é crescer, se perde um pouco. Pelo menos foi isso que aconteceu comigo.

Eu sempre gostei muito de ler, fato. Mas, na época do colégio de da faculdade esse gosto não me afetava muito financeiramente. Motivo? Eu tinha à minha disposição as bibliotecas dos locais onde eu estudava. Não é preciso dizer que minha carteirinha estava sempre muito cheia de aluguéis, sem que meu bolso ficasse muito vazio de dinheiros.

Depois de me formar, o hábito de alugar livros simplesmente morreu. Eu sabia que existiam bibliotecas públicas espalhadas pela cidade, mas achava que era meio complicado conseguir uma carteirinha ou até mesmo encontrar livros legais. Eu ACHAVA mas nunca tinha ido atrás de me certificar. Até este ano. Trabalho no centro de São Paulo e, portanto, próxima da Biblioteca Mário de Andrade. Sabia disso, mas sempre deixava a informação lá no fundo da minha cabeça. Acontece que agora, além da economia financeira, eu também preciso – e muito – economizar espaço. Morando na casa dos meus pais sempre tinha um cantinho para mais um livro. Mas, agora, em um apê pequeno, cada lugarzinho faz diferença. Mais do que isso, me dei conta que são muitos os livros que quero ler, mas são poucos que faço questão necessariamente de ter. Aí entra a perfeição da biblioteca. Não custa nada e também não toma espaço permanente. Foi só então que resolvi me informar como utilizar o serviço e descobri que é MUITO fácil.

Biblioteca
A carteirinha do coração e o primeiro livro alugado.

Como se inscrever

No caso da Biblioteca Mário de Andrade, que pertence à Prefeitura de São Paulo, tudo que tive que fazer foi ir até lá levando minha identidade e um comprovante de residência recente. Na hora eles fizeram minha carteirinha e eu já saí com livro.

Aluguel e devolução

Os inscritos podem pegar dois livros por vez pelo prazo de 14 dias. Caso precise ficar mais tempo com os livros, basta ligar ou mandar um e-mail um dia antes da data da devolução para renovar o aluguel. Caso ninguém tenha reservado o livro, você poderá ficar mais duas semanas com ele. Só se isso acontecer, não será possível a renovação.

Atrasos

Caso atrase a devolução, você não poderá alugar nenhum livro pelo mesmo período do atraso. Exemplo: se atrasou três dias, ficará três dias após a devolução sem poder pegar nada emprestado.

Pesquisa

Você pode pesquisar no acervo tanto em monitores na biblioteca, quanto no site. Essa pesquisa mostra não apenas se a biblioteca possui o livro, autor, tema, etc, buscado como também se ele está disponível para aluguel ou se já está emprestado e qual data de devolução nesse caso. Além disso, nessa busca você já anota a posição física dele e pode ir direto procurá-lo quando chegar na biblioteca.

A busca

Procurar um livro em uma biblioteca pode ser confuso e se tornar uma aventura, rs. O melhor é se informar no próprio local assim que fizer a carteirinha e partir pra luta. Rapidinho você entende a dinâmica do local e tudo fica mais fácil. Caso não encontre de jeito nenhum a posição física indicada na sua pesquisa, existem funcionários por perto para te ajudar.

O estado dos livros

Muitos dos livros estão sim, mais acabadinhos, mas sempre em estado bom suficiente para leitura. Você, como inscrito, também tem a responsabilidade de mantê-los em ordem e não pode devolver o livro com rasuras, rasgos e afins. Meio óbvio, né? Os próximos leitores agradecem!

Outras maneiras de não comprar livros

Se você não está próximo a nenhuma biblioteca, ainda sim, existem maneiras de não comprar livros. Uma muito simples é pedir emprestado aos colegas e amigos e, em troca, oferecer os que você já tem a eles. A chance de vocês possuírem títulos interessantes para ambos é enorme, já que a proximidade denuncia possíveis interesses e comum. Além disso, hoje existem sites que possibilitam a troca de livros como Skoob e o LivraLivro. Eu tenho perfil no Skoob (ei, quer ser meu amigo?) mas nunca troquei livros por lá e nem por nenhum outro site, mas vou testar qualquer dia desses. Se você já tiver trocado e quiser contar como foi, deixe um comentário. ;)

Eu, pessoalmente, estou muito feliz de ter retomado o hábito de alugar livros em bibliotecas, pois posso continuar lendo bastante mas sem gastar e sem ter que ficar com um monte de livro que não tenho onde guardar. Além disso, o fato de poder pegar dois livros pelo prazo de 14 dias está fazendo eu me desafiar, já que nunca li livros diferentes ao mesmo tempo. Agora resolvi ler um livro no metrô e outro em casa e, de preferência, antes dos 14 dias para não ter que renovar. Afinal de contas, tenho uma meta até bem ousada de leitura até completar 30 anos. E, olha, o incentivo está funcionando bem!

Viva a gratuidade!

2 comments

  1. Confesso que tenho preguiça de ir na biblioteca, mas já pratico a troca de títulos entre amigos.
    E também tenho usado muito o kindle, que é meio q um investimento a princípio, mas você acha tantos títulos de graça que compensa.

    1. Nossa, Lecticia, é verdade, o Kindle também é um investimento que no futuro acaba gerando bastante economia, além de ser bem prático, né? Boa lembrança!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *