Depois de Nova York

Não é nenhum segredo que desde que voltei de Nova York o blog está aos trancos e barrancos. Tanto que, de lá para cá, fiz apenas 9 posts. Posts grandes, detalhados, com fotos, alguns com montagens, mas no final das contas, apenas 9. Ontem foi o último.

E, ao finalmente chegar ao post final da minha viagem devo dizer que o sentimento é dúbio: por um lado, sinto um enorme alívio pois, como eu não queria postar nada diferente enquanto não terminasse os relatos da viagem, o blog passou basicamente 8 meses “encalhado” nesse tema, afinal cadê tempo para escrever o post, escolher as fotos, fazer as montagens? Então, ufa! Agora volto me sentir a vontade parar voltar a falar de outras coisas.

Por outro lado, o saudosismo (sentimento quase permanente na minha vida canceriana) bate com uma força especial. Passados tantos meses dessa viagem, olho para ela como um marco. Além de ter sido um sonho realizado e de ter sido pedida em casamento em Nova York, assim que voltei fui demitida da agência onde trabalhava. Foi a primeira vez que isso aconteceu na minha carreira e, como foi uma consequência da crise e não de nada que eu pudesse ter evitado, fiquei um tanto perdida. A viagem, portanto, marca meus últimos instantes de um conforto – financeiro e psicológico – que foi embora sem avisar. Desde então sinto que, em vários aspectos, as coisas ainda não entraram nos eixos, então Nova York me traz a última memória da minha vida pré-furacão. Ao deixar os relatos dessa viagem para trás, sinto que também estou deixando essa parte saudosa da minha vida onde estava tudo mais bem reconhecível que agora. Mas a vida é assim: segue. E, a partir de agora, o blog também pode seguir rumo a novos temas e a outras transformações que estou planejando.

Novamente é possível que o blog entre em um hiato (ok, ele meio que já está em um), pois estou planejando uma mudança mais profunda nele que envolve layout, linha editorial, parcerias. E como tudo na vida envolve tempo e dinheiro, coisas que estamos sempre em falta e estão especialmente em falta para mim esse ano, eu ainda não sei o ritmo que vou conseguir imprimir nessas mudanças. Mas elas virão, pois precisam vir. Minha vida mudou muito, eu mudei muito e o caminho natural do blog é também se transformar.

Então, me despeço da vida pré-NYC e abraço de uma vez por todas o que veio (e vem) depois de Nova York.

 

ja não sou como era antes

 

 

(imagem via)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *