30 antes dos 30 – Leitura | Misto-Quente

Misto-Quente é o segundo livro que leio de Charles Bukowski. No ano passado li Mulheres e demorei um pouco para engrenar, mas no fim me envolvi e fui. Sem eu saber Misto-Quente traz o mesmo personagem de Mulheres, Henry Chinaski, um escritor que vive bêbado e que tem muitos “q”s autobiográficos, ainda que, no geral, os livros sejam ficção. Mas, dessa vez, o autor conta sobre a infância e adolescência de Chinasky: pobre, com um pai violento e uma mãe omissa e uma vida bastante problemática.

misto_quente

Assim como em Mulheres, eu demorei um pouco para engrenar, pois Bukowski tem uma literatura bem direta e crua, e algumas frases parecem que foram jogadas ali a toa. Mais para frente aquele fato x não volta e não muda a história. Mas acredito que isso na verdade seja apenas uma forma do autor de construir a personalidade dos personagens, sem deixar mastigado demais para o leitor. Aquele fato aparentemente aleatório marcou Chinaski a ponto de ele comentar a respeito, e cabe a nós entender como aquilo o afetou.

A leitura é sempre pesadinha e escatológica (ainda que bem menos que em Mulheres) mas, em algum momento ela te envolve e você fica querendo saber o que vai acontecer com aquele cara grosso. Existem momentos em que você até consegue simpatizar com o personagem pois ele sofre muito, mas tem hora que tudo que passa pela cabeça é: “mas que belo idiota”. Isso acontece especialmente mais para o fim do livro, quando Chinaski sai dando porrada em qualquer um por qualquer coisa o que me irritou um pouco.

Eu senti falta de uma ligação entre o Chinaski de Misto-Quente e o de Mulheres, mas ela não acontece. A história do primeiro termina bem antes do escritor se encaminhar para se tornar o bêbado transão da “continuação”. Ainda assim, gostei mais de Misto-Quente pois tem uma história mais longa e mais profunda a ser contada. Além disso, neste livro, ali entre as frases simplórias que fazem parte do estilo do autor, do nada você dá de frente com frases incrivelmente profundas, sendo uma das mais marcantes essa:

“Que tempos penosos foram aquele anos, ter o desejo e a necessidade de viver, mas não a habilidade”.

Se eu recomendo? Sim, pois é uma leitura bem crua e diferente. Acho interessante. Mas caso nunca tenha lido nada do autor vá sem expectativas nem preconceitos ou você pode não ter estomago para Bukowski.

30 antes dos 30 2

O 30 antes dos 30 é uma lista com 30 coisas que quero fazer antes de completar 30 anos. Uma delas é ter lido pelo menos 200 livros até lá. No momento faltam 340 dias para a chegada dos trintão e eu já li 144 livros. Quer saber o que tem no resto da lista? Ela está completinha aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *